...

VOCÊ TEM MAIS DE 18 ANOS?

Sim Não

Duplo malte? Nossa Pilsen é Triplo Malte! O que isso quer dizer?

A primeira pergunta que devemos fazer é: Quanto mais maltes diferentes tiverem na receita, melhor vai ser a cerveja? Uma cerveja duplo malte é melhor que uma de apenas um?

A resposta é simples: não! É claro que os maltes utilizados influenciam bastante no sabor e qualidade da cerveja, porém não é a adição de mais variedades de grãos que proporciona este ganho. E sim a combinação, pensada, das propriedades de cada um.

O que é uma cerveja duplo malte?

Nada mais é do que aquela em que a receita leva dois tipos de maltes diferentes – uma para dar o corpo e maior parte dos açucares da fermentação – e outro, em menor quantidade, que confere um pouco mais de aroma e cor à cerveja.

A utilização de mais de um malte na produção é super comum no universo cervejeiro, inclusive a grande maioria das cervejas produzidas no Brasil levam mais de um malte! Cervejas duplo malte, triplo malte…são super comuns, o que vale mesmo é o sabor final e qualidade da cerveja.

Aqui na Prussia, nossa cerveja Pilsen leva 3 maltes em sua composição, essa escolha foi feita pois queríamos uma cerveja um pouco mais complexa. Rica em aromas maltados, lembrando pão e biscoito. Ao mesmo tempo é uma cerveja mais encorpada e refrescante.

Conheça nossa cerveja Pilsen!

Para entender melhor esse assunto precisamos nos aprofundar nesse insumo tão importante: o malte.

Há quem diga que o malte é a alma da cerveja, mas não podemos nos esquecer dos demais ingredientes, igualmente importantes: água, lúpulo e leveduras. Eventualmente muitos outros insumos podem ser utilizados, trazendo ainda mais complexidade e sabores, como frutas por exemplo.

O malte de cevada é o favorito dos cervejeiros ao redor do mundo, suas proteínas e amidos existem em proporções adequadas. As proteínas são imprescindíveis para o crescimento das leveduras e o amido fornece os açucares fermentáveis, que serão transformados em álcool.

O que diferencia os tipos de malte é a maltagem, onde os grãos recém colhidos passam por um controlado processo de germinação, deixando acessível o amido para ser utilizado na fabricação de cerveja. Uma das fases finais da maltagem é a torrefação, nesse ponto controla-se o tempo e temperatura, assim como é feito no café. Um malte mais escuro, é torrado por mais tempo a altas temperaturas, já o malte pilsen, passa por essa torra mais rápido e em menor intensidade. Desenvolvendo diferentes níveis de cores, sabores e aromas!

Tipos de malte:

Vamos dividir os maltes em 3 tipos:

  • -Básicos:

São usados em maior quantidade e em todas as cervejas, fornecem corpo, cor clara, aroma e maior sensação de boca.

  • Caramelos:

Dão a cerveja sabor doce e cor avermelhada.

 

  • Torrados:

Possui pouca quantidade de nutrientes, sendo usado em pouca quantidade, serve para dar sabor, cheiro ou cor característicos.

Maltes na receita:

A escolha dos maltes a serem usados depende basicamente da cerveja que se quer produzir. Uma cerveja mais leve, como as Pilsens, levam em sua produção duplo malte ou triplo malte. Os maltes especiais são adicionados em menor quantidade, pois em geral são cervejas mais claras, eles servem apenas para dar um toque de complexidade!

Já alguns tipos de cerveja mais fortes, como as NEIPAS podem chagar a levar até 6 tipos ou mais de maltes. Isso porque precisam de mais corpo para equilibrar as altas quantidades de lúpulo, e fornecer açúcar suficiente para atingir o teor de álcool mais elevado.